segunda-feira, 18 de maio de 2009

Sutil realidade

"No silêncio, minha'lma sussurra a doce realidade...
Doce,
e como delicado bombom, cujo recheio escorre vermelho por frestas de dentes.

Escorre............ lentamente, tal gemido de criança no estômago de sua mãe.............
Um rio de nome incompreensível, sim, e neste rio, vermelho e dourado, nada-se..
Desatenta
desatentos somos, de mãos dadas.
Mergulham e sugam, e sorvem tanta doçura,

Doçuras que lambem por vezes, a pele.
Eu tremo



mergulham,

os cegos."